Treinos Noturnos

Por Fausto Fagioli Fonseca

Apesar de a grande maioria das provas serem realizadas no período matutino, não são poucos os corredores que optam por fazer seus treinamentos durante a noite, quando o sol já não incomoda e as ruas estão mais tranquilas.

Além disso, este é o horário que grande parte dos corredores amadores têm para prática do esporte, depois de um dia cansativo de trabalho. Porém, quem escolhe a companhia do luar para dar suas passadas pode sentir algumas diferenças no momento da prova, como explica Ronaldo Martinelli, diretor técnico da 5 Ways Sports Consulting.

“A maioria dos corredores que treinam comigo escolhem este horário da noite. Vejo como problema no dia das provas, que normalmente são de manhã. Principalmente pela questão do hábito, já que muitos, por exemplo, não conseguem se alimentar bem logo cedo, e isso pode gerar algum desconforto. Por isso, sempre fazemos também pelo menos um treino por semana aos sábados de manhã, para ajudar na adaptação”.

“Nunca aconteceu de alguém passar mal somente por causa do treinamento noturno na hora das provas matutinas, mas é legal que o corredor faça alguns treinos no mesmo horário da prova, para adaptar o corpo mesmo, e não ser pego de surpresa no dia da corrida”, completa Daiana Priscila Voigt Gamboa, treinadora da assessoria esportiva BK Sports.

Chame atenção
Uma das preocupações de quem corre à noite é quanto ao risco de não ser visto pelos motoristas, principalmente em vias que o fluxo de carros é grande. Para Daiana, usar roupas chamativas pode ajudar.

“Existem roupas feitas com tecido refletivo, desenvolvidas realmente com este intuito de chamar a atenção em locais mais escuros. Correr contra o fluxo também é mais indicado, porque, se o motorista não ver o corredor, pelo menos ele vê o carro”, diz a treinadora, que completa. “Além disso, é bom que o atleta escolha locais que já conheça, para evitar os buracos e outros obstáculos comuns nas vias, causadores de muitas lesões”.

Aquecimento
Durante a noite, a temperatura tende a diminuir um pouco, principalmente durante o inverno. Por isso, o processo de preparação dos músculos para o treinamento mais puxado deve ser feito com ainda mais atenção, como explica Martinelli.

“Como estamos em uma época de temperaturas mais frias, é importante que o corredor dê um foco maior no aquecimento antes do treinamento. Um trote de 10 a 15 minutos serve para deixar o corpo mais preparado para o esforço que está por vir”.

Alimentação
A última refeição mais completa que o corredor costuma ter antes dos treinamentos noturno é o almoço. Por isso, fazer um lanche no período da tarde pode ajudar a manter o corpo preparado.

“Vou usar uma frase um pouco batida, mas que serve perfeitamente. Saco vazio não para em pé. Sempre aconselhamos quem pratica o esporte a comer a cada três horas, para manter o organismo em funcionamento. Porém, esse lanche não pode ser algo muito pesado antes dos treinamentos, para que o atleta não venha a passar mal”, aconselha Daiana.

“Um erro que o corredor nunca deve cometer é correr em jejum. As frutas são boa opção, e alimentos que contenham carboidrato também são importantes, já que dão a energia necessária para a prática do esporte”, completa Martinelli.

Fonte: Acesse o site Ativo