Polícia Militar irá reforçar blitz da lei seca nas estradas

Cerca de 490 mil veículos devem descer a Serra para o Litoral neste Carnaval, segundo a Ecovias. Se confirmado, o número será superior ao de 2016, quando 478 mil passaram pelos pedágios rumo à Baixada Santista – e houve 104 acidentes, três mortes e 33 pessoas feridas.

A Polícia Militar Rodoviária (PMR) promete reforçar a vigilância e as blitze da lei seca. No Estado, usará 59 etilômetros (31 passivos, que captam álcool no ar, e 29 ativos, em que a medição se dá por sopro), a maioria nas rodovias litorâneas. Haverá bloqueios em locais específicos, definidos mediante cruzamento de dados como estatísticas e pontos críticos em acidentes.

A contagem da Ecovias se iniciará à zero hora de quinta-feira (23) e encerrará às 23h59 de terça-feira
(28). Mas as ações contra a combinação álcool mais bebida já começaram. No último dia 18, em Mongaguá. 235 condutores foram submetidos ao teste do etilômetro pelo Programa Direção Segura. Quinze foram autuados, 12 deles por embriaguez. Terão de pagar multa de R$ 2.934,70 e perderão o direito de dirigir por 12 meses. Os outros três foram autuados por se recusar a fazer o teste. Receberão as mesmas punições.

Paulo Barbosa Siqueira Filho, capitão da 5ª Companhia, explica que o reforço da PMR está em planejamento, pois cada companhia calcula o número de veículos e os riscos criminais de cada trecho. Apenas na 5ª Companhia, de São Sebastião a Santos, serão ao menos cinco viaturas adicionais por dia.

“O foco é verificar motocicletas, uso do acostamento, ultrapassagens, velocidade e alcoolemia, que é a
junção de bebida e direção. Nesses cinco itens, aliados à instrução e orientação dos motoristas, se obtêm resultados”, explica.

Para o Carnaval, a Ecovias manterá diariamente 58 viaturas e 60 veículos extras.

Educação

Na sexta-feira (24), das 10 às 16 horas, no Posto Borssato (km 35 da Imigrantes, em São Bernardo do Campo), a Ecovias promoverá conscientização. Terá palhaços, marchinhas carnavalescas e uma blitz nos veículos para verificar se todos os passageiros usam cinto de segurança, inclusive no banco traseiro.

Também se usarão óculos de realidade virtual, para simular efeitos da bebida alcoólica, como visão embaçada e perda da velocidade de reação. O equipamento será mantido pela Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp).

Fonte: Acesse o site Brasil ao Minuto