Governo aumenta fiscalização em todas as estradas do País

Até 14 de fevereiro, operação Rodovida garante fiscalização focada nas principais causas de acidentes nas rodovias federais

Objetivo da operação é reduzir a quantidade de acidentes graves nas rodovias federais e em trechos críticos

A quinta edição da operação Rodovida já teve início nas principais rodovias do País. O principal objetivo da operação, que segue até 14 de fevereiro, é reduzir a quantidade de acidentes graves nas rodovias federais e nos demais trechos críticos próximos a essas rodovias.

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) destacou cerca de 10 mil policiais para a fiscalização ostensiva das estradas. Eles estarão atentos às principais atitudes dos condutores que acarretam acidentes graves, como ultrapassagens indevidas, excesso de velocidade, embriaguez ao volante e falta de uso do cinto de segurança. Os motociclistas também receberão atenção especial. Nos últimos anos, esses motoristas têm sido as principais vítimas dos acidentes com mortes, principalmente na Região Nordeste.

Para reduzir o excesso de velocidade nas estradas, a operação conta com 3.420 equipamentos de controle eletrônico, que monitoram 6.389 faixas de trânsito. São lombadas eletrônicas, radares e detectores de avanço de sinal.

Em 2015, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) aplicou R$ 485 milhões no programa BR Legal, que implanta e mantém um novo padrão de sinalização nas rodovias. Aumenta e reforçar a parte horizontal (faixas, taxas, taxões, inscrições, marcas e legendas no pavimento), instala mais placas de orientação, de advertência e turística, todas com material mais refletivo, e também usa dispositivos auxiliares, como painéis suspensos com mensagens variáveis e defensas metálicas e balizadores em trechos sinuosos.

Com os programas desenvolvidos, somados aos investimentos em manutenção das rodovias, constata-se a redução no número de acidentes ano a ano. No primeiro semestre de 2013, foram registrados 91.095 acidentes nas rodovias federais sob responsabilidade do Dnit. Este número caiu para 86.003 no primeiro semestre de 2014 e para 71.003 no primeiro semestre de 2015, confirmando a efetividades dos programas do governo federal para aumentar a segurança nas rodovias.

No entanto, existem trechos em que a incidência de acidentes fatais é muito grande. Nem sempre se trata de trechos com problemas no pavimento ou com deficiências de sinalização. Assim, o planejamento da Operação levou em consideração estudos estatísticos para direcionar as ações de prevenção, fiscalização, socorro às vítimas de acidentes e campanhas educativas. A Operação Rodovida trabalha, também, com estudos dos horários e locais de maior incidência de acidentes com vítimas.

Fonte: Clique aqui